As delícias do Dudu
As delícias do Dudu

2

dez

2014

O dia do meu desmame



por Thais Ventura em Maternidade | Tags:
Quando escrevi o post “O que aprendi com a amamentação – Parte 1”  prometi que voltaria pra contar quando o Dudu desmamasse. Pois bem, vamos lá… Morrendo de chorar rs
Vou começar do começo.
Mais ou menos uns 8 meses atrás, (desde os 3 anos por ai) Dudu vem mamando muito pouco, geralmente pra dormir apenas e até pegar no sono, ele já dorme a noite toda desde os 2 anos, e come super bem desde sempre, então a amamentação nessa idade pra gente era mais um momento nosso, de tranquilidade entre nós dois do que qualquer outra coisa, mas era bom, sempre foi, bom demais. Amei poder amamentar meu filho até não poder mais, porque foi assim que aconteceu, por ele mamar pouco, e tinha dias que não se lembrava de mamar então passavam dois, três dias sem pedir peito, e como nosso corpo é sábio ele se adequa a demanda do leite que o bebê aqui no caso criança necessita. Aos poucos senti que meu leite era minimo, mas que eu ainda tinha leite e o próprio Dudu confirmava quando eu perguntava rs.
Passamos um momento difícil, principalmente eu. Descobri que estava grávida de seis semanas, foi uma alegria imensa, Dudu desde já, começou a ficar meio com ciúmes e aumentar a demanda de mamadas, eu estava achando o máximo, pois meu sonho era amamentar em tandem (dois ao mesmo tempo), mas, por vontade do destino acabei perdendo o bebê que simplesmente não se desenvolveu, foi um aborto espontâneo mais bem dolorido fisicamente e emocionalmente, claro, e acredito que depois disso meu leite que pela gravidez havia aumentado, de uma hora pra outra ficou escasso pela tristeza e estresse do momento que passei. (Só uma obs não atribuo o aborto a amamentação e tenho certeza que não teve influência, creio que seja comum infelizmente acontecer, e a maioria das pessoas que contei e conversei também já tinham passado por isso). Enfim, após o ocorrido meu leite só diminuiu, Dudu começou a pedir pra mamar menos, viajei pra Sp passei um dia longe dele e pelo que me disseram ele nem procurou pelo peito, por mim sim claro, ele sentiu minha falta, mas não sentia falta do “mamá” como ele mesmo chama.
De umas duas semanas pra cá, amamentar Dudu estava sendo bem dolorido, acredito que tenha secado de vez o leite, então ele sugava e parecia que uma faca entrava no meu seio, dava aquela ardência que eu acabava pedindo pra ele mamar devagar. Eu cheguei a mudar de assunto algumas vezes quando ele pedia pra mamar, mas acabava cedendo e deixava, acreditei que ele largaria por si só já que não tinha mais leite, mas, não foi bem assim da forma que eu pensei. Eu imaginava acordar um dia e ele dizer: – Mamãe não quero mais mamar.
Esperei essas duas semanas amamentando mesmo sem leite pra ver se ele pararia por conta própria, mas infelizmente não ocorreu.
Ontem, eu estava mal, me sentindo a pior mãe do mundo por pensar em não dar mais o peito pra ele, e então chamei minha amiga querida Simone de Carvalho da AMS para tentar que me desse uma luz, e ela me acalmou, me mostrou que fiz tudo que estava ao meu alcance e que sim, era um desmame natural. Podia não ser da forma como eu idealizei, mas foi natural porque foi acontecendo aos poucos, com respeito, sem mentiras e o mais importante com amor, muito amor. Ela me deu uma ideia de festejar com um bolo junto com Dudu uma nova etapa da vida dele. E assim eu fiz, não levei ele na escola pra passar o dia bem juntinho, fizemos um sorvete de inhame com cacau (que falando assim parece ruim, mas chicabom que me desculpe o meu de inhame ficou bem melhor rs) expliquei pra ele que o mamá da mamãe não tinha mais leite, que tinha acabado e que tinha chegado a hora dele dar tchau, perguntei se ele queria se despedir, ele disse que não e eu compreendi. Fizemos o sorvete de inhame e disse que a partir daquele dia, ele não mamaria mais, porém eu estaria ao lado dele pra sempre, ele poderia ficar no meu colo o tempo que fosse, eu daria beijos e abraços sempre que ele necessitasse de um carinho e um aconchego, ele me olhava e dizia: “Mas, mãe eu adoro mamá”, gente que difícil, pensa na pessoa chorando mais que a cria? pois então, mas continuei, e dizia pra ele:
Mamãe também amava te dar mamá, você sabe disso, mas agora precisamos passar pra essa outra fase juntos ok? Ele fez que sim com a cabeça, e continuamos brincar de carrinho.
Ele ainda pediu ontem uma vez, e eu o lembrei da nova fase.
Quando fomos dormir ele não pediu, acordou hoje e pediu café da manhã, passou o almoço e ele não pediu, gente ele já me esqueceu? assim tão fácil? rs
Chegou da escola, pediu pra ir na piscina e pediu o sorvete, é… Acho que ele estava mais preparado do que eu imaginava, quem não estava era eu.
Na verdade eu fico feliz em ver que ele vai superar, acredito que bem mais fácil que eu, que já estou morrendo de saudade daquele meu pequeno no meu colo mamando.
E esse sorriso, é apenas isso que eu preciso pra ser feliz, saber que ele também está feliz!!!
Se posso dar um conselho, mamães amamentem, aproveitem, é um tempo que não volta mais…
Foram 3 anos e 8 meses de amor liquido, esse amor que já existia desde o momento de sua concepção e que por meio da amamentação foi seu alimento, seu refúgio e seu aconchego, mas a hora de cortar esse laço tão importante para nós foi chegando devagarinho até que você aprendeu a voar com suas próprias “asas”, pode crescer meu filho, mas lembre-se que sempre estarei ao seu lado…
Te amo,
Ass: Mamãe.

6 respostas para “O dia do meu desmame”

  1. Marina Bergamaschi Teixeira disse:

    Onde tem a receita desse sorvete de inhame com cacau? Estou com água na boca!

  2. Ivy Ramalho de Magalhães disse:

    Muito lindo o relato. E me confirma uma coisa a verdade é que a gente idealiza Alguns desfechos alguns momentos relacionados à nossa vida a nossa maternidade Mas esses momentos eles acontecem de acordo com a vontade da natureza e da interação entre a gente o nosso bebê

  3. Carla Cristina Kasper Ulmann disse:

    Que lindo!

  4. michelle disse:

    Estou nesta fase pela segunda vez, o maior sofrimento é o nosso. No fundo dar uma tristeza, mas tudo no seu tempo e sempre o melhor para eles.❤

  5. Lílian Galvão disse:

    Aff, meu filho tem 7 meses e 10 dias, me emocionei só de pensar que um dia o desmame chegará!

  6. Najara disse:

    Estamos aqui com 3 anos e 7 meses… já tentei desmamar… confesso que ando cansada, e tem dias que eu não quero amamentar… o Gu ainda acorda de madrugada pedindo o Dêdê… Mas todas as vezes que eu leio um relato de desmame eu paro e respiro e penso “a hora dele ainda não chegou”… eu converso com ele sobre crescer e não mamar mais, mas não sei oq fazer a não ser deixar, pq ele chora muito… Lendo seu relato eu chorei…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Destaque do Mês

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.