Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
As delícias do Dudu
As delícias do Dudu

6

maio

2013

Meu filho não come 6 / 7 meses (introdução alimentar)



por Thais Ventura em Alimentação Saudável, Introdução Alimentar | Tags:
Não é de hoje que recebo emails, mensagens inbox, pedidos desesperados de ajuda no grupo, ou pelo próprio blog. Então resolvi contar um pouquinho sobre esse momento introdução alimentar aos 6 meses, o que podemos fazer para ser mais prazeroso para mãe e bebê. 
Bom, um bebê é amamentado até os 6 meses com leite materno, ou em alguns dos casos com fórmula infantil. O único alimento que ele conhece é esse que geralmente é docinho (LM) dado, no colo e com aconchego da mãe, sentindo de perto todo cheirinho e carinho, aquela troca de olhares, todo aquele conforto que nós que amamentamos sabemos como é, ou seja o seu bebê está acostumado com o alimento de forma liquida somente, para suprir as necessidades dele quando a fome aperta, sei que o leite materno não é só isso, mas vamos nos ater a apenas alimentação aqui.
Quando completa os 6 meses é a hora da introdução alimentar, o seu bebê vai começar a conhecer novas texturas e novos sabores, agora o alimento passará a ser oferecido com um objeto estranho a colher (para ele é um objeto estranho lembre-se disso), ele precisará estar sentado em uma cadeirinha, ou carrinho ou outro lugar, mas não será da mesma forma com que ele se alimentava antes. E então, vem um outro sabor com uma textura completamente nova do que ele conhece, com aquele objeto estranho.
Nós mamães, ficamos super ansiosas com esse momento, nos preparamos, pensamos nos melhores alimentos, nos dedicamos para fazer uma papinha deliciosa, dedicamos um tempão, escolhendo, procurando formas de preparo, cozinhando e sonhando com nossos filhos batendo um pratão. Pois bem, é chegada a hora de oferecer, e aquele serzinho que nós tanto amamos simplesmente come uma colher ou até mesmo simplesmente se recusa a abrir a boca. E isso perdura por dias, e nós, vamos ficando cada vez mais frustada achando que o problema somos nós, ouvimos conselhos dos mais experientes, da tia, da vizinha, da avó, do papagaio de todo mundo e tentamos várias formas e nada, os bonitinhos só querem o leitinho (espertos que eles são). 
Algumas dicas que aprendi com o tempo aqui no blog, com os materiais que leio para tranquilizar um pouco o caração de vocês… 
1- O leite materno deve ser o principal alimento do bebê até 1 ano de idade. Seu filho não vai ficar desnutrido se hoje ele não comer e só mamar.
2 – Alimentação complementar como o próprio nome já diz vem para complementar o leite materno. E não adianta você achar que desmamando o seu bebê que ele vai comer um prato do tamanho que você deseja, que isso só vai acontecer quando ele realmente estiver acostumado com essa novidade na vida dele, e esse tempo vai variar muito de criança pra criança. 
3 – O estômago do seu bebê tem o tamanho da mãozinha dele quando fechada, ou seja é bem pequeno, então a quantidade de comida que ele vai comer é pouca mesmo, no manual da sociedade brasileira de pediatria diz que essa quantidade é em média de 4 colheres, e sim essa é uma boa quantidade. 
4 – Jamais force seu bebê a comer, esse é um dos maiores erros que acontece nesse inicio de alimentação complementar e suas consequências podem perdurar por bons anos e só piorar a aceitação. 
5 – Deixe seu bebê livre para experimentar as texturas, legumes bem cozidos são ótimos para serem dados em suas próprias mãozinhas. E lembre-se que se sujar faz sim muito bem. 
6 – Temperos naturais são um grande aliado, comida sem graça ninguém merece, seu bebê precisa comer uma comidinha deliciosamente temperada e para que isso aconteça não precisamos do sal.
7 – Fuja de produtos industrializados, quanto mais natural for a alimentação do seu bebê, mais fácil a aceitação. Bebês com paladares viciados tendem a ter maiores dificuldades em aceitar alimentos puros.
8 – Tenha paciência, tenha paciência e tenha paciência… Essa palavrinha você realmente vai precisar pensar nela por um tempinho… rs
9 – Respeite o tempo do seu bebê, sim aos 6 meses é indicado para introdução alimentar, mas somos cada um, uma pessoa diferente e cada um tem seu tempo, e pode ser que mesmo ao completar os 6 meses, o seu filho não estava preparado para a IA (introdução alimentar). Com o tempo ele vai aceitar.
10 –  Por favor, não se desesperem, não deixe seu filho “passar fome” pra ver se come. Como diz o mestre pediatra Dr Gonzales, amamente antes de alimentar seu bebê, o que ele comer está ótimo, e complemente com leite materno depois. Assim seu filho saberá que tem ainda o leitinho dele. OBS: essa informação só serve para leite materno, as fórmulas infantis precisam de um intervalo de no minimo 2 horas para o calcio não competir com o ferro, atrapalhando assim sua absorção.
11 – Não, por favor, não bata a papinha do seu filho, de liquido, somente leite materno e a água. Seu bebê precisa se acostumar com a nova textura e ele vai aprender a se virar. Tenha calma. Não resolva um problema momentâneo, criando outro futuro. (tenho visto muitos casos de crianças de 2, 3 e até 4 anos que só comem comida batida).
12 – Aproveite esse momento porque ele passa e depois você sentirá falta. Faça do momento da alimentação algo prazeroso para você e principalmente para seu bebê,  (e isso não inclui passar galinha pintadinha no laptop rs).
13 – Não, começar aos 4 meses não diminui as chances de rejeição. Mas sim, aumentam as chances de alergias alimentares, e outros probleminhas que ocorrem com a introdução precoce dos alimentos. Então não se culpe por ter esperado os 6 meses, e sim sinta se feliz por ter feito o que os órgãos da saúde recomendam.
*Em uma pesquisa feita com leitores que chegavam até a mim, reclamando de rejeição alimentar, mais de 90% delas responderam que acrescentavam farinhas no leite e nas frutas, e quando precisaram dar a fruta pura o bebê rejeitou, e com o passar da idade a criança não consumia a fruta in natura inteira e pura. Então mais uma vez repito, alimente seu filho da forma mais natural e simples possível evite alimentos industrializados que modificam o paladar do bebê que está em formação. 
Aqui comecei com a fruta raspada, cada pediatra recomenda de uma forma, alguns indicam começar com as papas salgadas, não acho que seja errado, apenas acredito que a fruta por ser mais docinha tem mais fácil aceitação, mas isso cabe a cada mamãe decidir, você pode usar uma tática de misturar um legume cozido e amassado com um pouco de leite materno, tipo, purê de batata com leite materno, tem uma boa aceitação, e também utilizar legumes mais docinhos como a beterraba, a batata baroa, a abóbora madura… E é isso, testar o que seu bebê aceita melhor e fazer desse alimento uma base para a introdução dos novos. 
Esse post é somente um pouco da minha experiência com meus estudos e aprendizados no dia a dia como mãe. Qualquer dúvida maior não deixe de consultar uma nutricionista infantil de sua cidade, elas são as melhores pessoas para te ajudar nesse processo.
Em São Paulo indico A DRa- Karine Durães o contato dela por email é 
>>  nutricionistainfantil@gmail.com 

Destaque do Mês

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.